Todo mundo tem a sua cruz: portanto, só nos resta amar

Eu desconheço alguma pessoa que não esteja passando por algum tipo de provação em sua vida. Que não sinta que esteja vivendo grandes batalhas internas e externas. Ou que, de tempos em tempos, não tenha a sua dose de sofrimento. O desânimo e a insegurança bate na porta de cada um. Todo mundo carrega a sua cruz.

É importante que se compreenda isso. Se todo mundo passa por alguma coisa, o que nos resta é amar-nos. Apoiar uns aos outros. Muitas vezes, o comportamento do outro pode nos parecer hostil, absurdo, incorreto e o primeiro impulso que temos é de brigar, criticar, julgar. No entanto, podemos não compreender o que ela está vivendo.

A espiritualidade nos ensina a cultivar um olhar compreensivo e amoroso. A compaixão. Isso pode nos soar um desafio um tanto quanto difícil, mas é neste sentido que a vida nos direciona. A encarnação vem no objetivo de nos fazer evoluir, e a evolução é o desenvolvimento desse amor. Amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Nós estamos habituados a julgar. Tornou-se natural. Para mudar isso, há de se enfrentar o ego. Somos responsáveis pela vibração que emanamos. As pessoas com as quais convivemos fazem parte da missão que portamos nessa vida. Por desconhecermos o tamanho e o peso da cruz que as pessoas carregam, devemos, em vez de julgá-las, emanar todo amor que nos for possível.

A vida muitas vezes assemelha-nos a uma sucessão de batalhas, com poucos intervalos para descansar. Um tanto quanto turbulenta. Isto acontece porque não vivemos à passeio neste mundo. Em certos momentos, a intensidade é necessária para que o aprendizado aconteça, principalmente se há muita teimosia envolvida. Apesar disso, devemos aprender a lidar com as tribulações da vida com leveza e alegria.

Não desanime. Não desconte nos outros. Não desista. Assuma a responsabilidade sobre sua própria vida. Aceite as suas batalhas. Não pode fugir. Mesmo que você tente ir para outro lugar, haverão novas batalhas, uma vez que você não pode fugir de você mesmo. A própria necessidade de aprendizado irá criar novas situações. Encare-as como responsabilidade. Aceite-as.

Aceitar não é desistir, submeter-se. Mas enfrentar, caminhar para frente, buscar vencer. É sempre bom lembrar: Deus nunca nos dá uma cruz maior do que podemos carregar. E quando necessário, ele sempre envia ajuda.

Ninguém está livre de problemas. Você não é o único com dificuldades nesse mundo. No entanto, você pode confiar no amor. Ele transforma. Aquilo que reside em seu coração possui uma força imensa sobre sua vida. Deixe a luz divina crescer. Torne-se um irradiador das vibrações elevadas. Para isso, basta amar.

 

Anúncios

A coragem necessária para permitir transformar-se

O desenvolvimento espiritual é uma jornada interna de autotransformação. É um projeto intenso, muitas vezes doloroso, que exige-nos mergulhar-se dentro de si mesmo. Olhar de frente as suas sombras e enfrentá-las. Isto exige coragem e disposição, uma vez que a transformação é radical.

Há muita coisa para ser trabalhada. Ressentimentos, traumas, rancores, medos, memórias dolorosas e toda sorte de sentimentos negativos alojam-se em nosso subconsciente. Nas voltas que o mundo vai dando, vamos colocando todas as emoções à prova. A vida posiciona-se como uma forja, na qual suas marteladas nos impulsionam à virtude.

Há de morrer o velho para nascer o novo. A espiritualidade é a alquimia interna, capaz de transformar a pedra bruta em ouro. Para isso, é necessário a coragem de permitir que essa transformação aconteça. Isto porque, mudar dói. A nossa atual encarnação vem no sentido de criar múltiplas experiências, impondo e propiciando nossa evolução. O que muitas vezes envolve o sofrimento.

Contudo, como eu disse neste artigo anterior, o sofrimento nem sempre se faz necessário. É preciso, para isso, desenvolver a aceitação e, posteriormente, a coragem.

A coragem é força emocional. Uma estrutura psíquica firme que aprende a reagir diante das dificuldades da vida de uma maneira capaz de acionar a , a vontade, a esperança e a persistência.

É importante entender que a coragem pode ser cultivada. Nós não somos seres prontos, finalizados, incapazes de mudar. Muito pelo contrário. É por sermos capazes de evoluir que somos condicionados a experimentar todo tipo de situação aqui na Terra.

Para prosseguir em seu desenvolvimento espiritual, você terá que enfrentar muitas sombras do passado. À medida em que entramos em sintonia com o espiritual, bloqueios são liberados e assuntos não resolvidos, que ainda permanecem alojados em nosso coração, manifestam-se. O caminho, reforço, é permitir transformar-se.

Uma ferramenta excelente para ampliar a coragem interna é por meio das afirmações positivas. Utilizando-se de repetições diárias de algumas declarações, você envia ao seu subconsciente sentimentos e pensamentos de força, coragem, ânimo, paz. Com o devido tempo, esta prática espiritual realiza uma verdadeira limpeza e elevação de seus padrões emocionais. No final deste artigo, deixo algumas sugestões de afirmações para serem exercitadas diariamente.

Por fim, lembro que a coragem tem sua raiz na fé, fé em si mesmo e fé em Deus. Sem a convicção de que não estamos sozinhos nesse mundo, que tudo acontece por uma razão, de que somos capazes de enfrentar seja lá o que a vida nos apresentar, dificilmente encontraremos a coragem necessária para permitir -se transformar.

Algumas afirmações:

dandelion-2817950_1280

Eu posso
Eu consigo
Eu sou capaz
Deus está comigo

Eu sou corajoso. Eu aceito a transformação. A cada dia, deixo-me evoluir. Liberto meu coração. Tenho ânimo, coragem, paz e fé. O Pai Maior abençoa-me com o que há de melhor para mim nesta caminhada. Sou feliz, sou vitorioso.

A luz divina flui para meu ser e transforma-me. Eu aceito todo este processo. Meu coração torna-se mais leve, limpo e amoroso. Todos os vícios e padrões negativos são dissolvidos. Eu irradio positividade e agradeço.

A espiritualidade deve devolver a vida e a alegria

A espiritualidade é viva e dinâmica. Alegre, cheia de movimento. Não é uma coisa seca, fria, sem brilho. Não se baseia na dor, tristeza, angústia. O amor a Deus traz-nos felicidade, convida-nos a festejar. A espiritualidade exige respeito, mas também leveza.

O objetivo não é se submeter a uma disciplina cega e sem vida. Mas tornar o nosso coração mais leve. É muito possível evoluir com alegria e tranquilidade, embora nossas imperfeições e teimosias podem fazer o sofrimento necessário. Deus não pune, ensina.

Compreenda, os bons espíritos são felizes. É isso o que nos aguarda em nossa jornada. A vida superior não é um tédio, uma eterna e mecânica repetição sem história. Servir a Deus é ser protagonista de diferentes histórias.

Ser humilde não é sumir, rebaixar-se, desaparecer, autodepreciar-se. Não é esquecer a si mesmo. Jesus ensinou a amar o próximo como a si mesmo. Isto é, o amor a si mesmo é condição para o exercício da caridade.

O contato com a espiritualidade vem no sentido de reestabelecer a saúde em todos os sentidos, físico, mental, emocional, espiritual. Despertar o brilho interno, permitir que a luz divina se irradie por seu intermédio.

A espiritualidade desfaz ilusões e permite ao homem o conhecimento de sua verdadeira essência. Sendo este criado à imagem e semelhança de Deus, podemos concluir que sua essência é fonte de alegria, saúde, amor.

Por esta razão, diante da vida, devemos estabelecer uma atitude de gratidão. Considerá-la como um presente divino. Neste sentido, a espiritualidade vem estabelecendo novos valores, curando-nos da secura que o mundo nos impôs.

Vamos, portanto, limpar nossos corações e deixar a luz divina nele crescer. Sorrir, porque o Pai Maior é amoroso. Agradecê-lo, com suavidade, e festejar a vida.

 

Algumas vezes o caminho mais rápido não é uma linha reta

Pode acontecer de você sentir que as coisas não andam para frente. Que sua vida está estagnada. Que por mais que você se esforce, não sai do lugar. Você também pode acreditar que todas as suas tentativas de resolver algum problema, ou conquistar algum objetivo, não têm sido frutíferas. No entanto, é necessário entender que essa nossa passagem neste plano não é uma simples linha reta.

As grandes tribulações da vida costumam nos exigir algumas voltas para serem resolvidas. Pede-se que passemos por outros processos, outras histórias. Enquanto certos assuntos não estiverem resolvidos, algumas áreas da nossa vida podem ficar travadas. Por esta razão, devemos enfrentar aquilo que nossa mente ou coração tenta esconder.

Não ignore o que suas emoções estão tentando te dizer. Observe aquilo que sua mente evita tratar. Escute seu corpo. Eles estão a te apontar uma direção. Permita-se transformar-se.

Como falei neste texto anterior, há três modos de desempenhar sua energia: limpeza, consolidação e iniciação. Para que as coisas voltem a fluir, é necessário usar largamente o primeiro modo: a limpeza.

Esvazie-se de tudo aquilo que está travando sua vida. Desista das batalhas e projetos sem sentido, sem nenhuma verdadeira razão para você dedicar tanta atenção. Mais importante: realize a limpeza emocional. Você tem muito a ganhar deixando seu coração mais leve.

Toda mágoa, ressentimento, ódio, entre outros sentimentos negativos, geram bloqueios em nossa vida. Peça ao Pai Maior, em suas preces, guiar-te na libertação desse sentimento. Você verá acontecendo, e com muita força.

A vida tem seus ciclos. Altos e baixos. São muitas histórias acontecendo ao mesmo tempo. Nossas emoções, embora não possam ser ignoradas, também não devem ser seguidas à risca. Elas tendem a nublar o nosso julgamento da realidade. Aquilo que no começo nos empolga, deixa-nos ansiosos, no dia seguinte pode tornar-se fonte de dúvida, desânimo, incerteza. Neste caso, o melhor que possamos fazer é dar um passo a frente.

Muitas vezes, para avançar, a vida pode exigir que você primeiro firme as bases. Imagine, por exemplo, alguém sedentário que faz a resolução de fazer exercícios físicos, nesse caso, corridas. Essa pessoa provavelmente apresentará dificuldades de início para completar longos percursos. Se ela forçar, até mesmo corre o risco de se machucar. Primeiro, ela precisa fortalecer o corpo, as pernas, ligamentos, o coração.

O mesmo na vida. Às vezes pensamos demais no futuro e esquecemos algo gritando na nossa frente. Família, relacionamentos pessoais, saúde, trabalho, essas áreas merecem um cuidado especial. Lembre-se de que a espiritualidade está imersa na vida e todas as dificuldades e experiências estão aí para nos impulsionar à evolução.

Não esqueça o básico: oração, principalmente ao acordar e antes de dormir, a caridade, reforma íntima, pensamento positivo, frequentar um bom espaço sagrado, estudar bastante, não desanimar, meditação, entre tantas outras coisas que ouvimos frequentemente. Pode ser repetitivo, mas uma espiritualidade simples é suficiente para transformar a nós e nossa vida.

Luz para todos!

 

A Gratidão como Prática Espiritual

Vou confessar: não acreditava muito no poder da gratidão. Julgava ser apenas uma maneira bonitinha de mascarar a realidade, porém a espiritualidade mostrou que as coisas eram um pouco diferentes. Meus estudos e experiências levaram a admitir sua imensa capacidade transformadora.

A gratidão é uma prática espiritual. Isto é, como eu expliquei neste texto, ela se apresenta como uma ferramenta à nossa disposição capaz de nos colocar em contato com o Divino e adentrar nosso inconsciente. Por meio de sua energia, elevamos nossa vibração e purificamos nossa mente, emoções e alma.

Como isso acontece? A gratidão desenvolve uma nova perspectiva e atitude perante nossa vida. No momento que aceitamos que nada nos acontece por acaso, que tudo é uma lição que nos impulsiona à evolução, por mais dolorosa que seja, a felicidade é plantada em nosso coração. Somos gratos a cada experiência que o dia nos traz, e isto nos alegra.

Não perca a oportunidade de agradecer. É uma energia maravilhosa. Quando tudo te empurrar para baixo, agradeça e saia vitorioso. Lembre-se de que a essência é espiritual. E todo dia há alguma coisa para agradecer. Quanto mais você se sintoniza com o Pai Maior, mais grato você é.

A gratidão desenvolve essa sintonia. É um caminho de mão dupla. Por mais diverso que sejas religiões e formas de espiritualidade, todas possuem o agradecimento como uma prática fundamental.

E não é difícil implantar a gratidão ao longo do dia. Para começar, agradeça ao acordar. Incorpore-a em suas preces iniciais. Chame esta energia maravilhosa logo cedo. Torne-se consciente da presença divina que permeia a tudo.

Ao final do dia, agradeça por tudo de bom que lhe aconteça. Seja grato, também, a todas as dificuldades que enfrentou, permitindo que elas te ensinem e fortaleçam.

Cultive uma atitude de gratidão perante tudo e todos. Por exemplo, não pense mal daquele colega que você acredita ter te prejudicado. Em vez disso, esforce-se para ver tudo o que a convivência com ele te ensina. E agradeça.

Por fim, é necessário humildade para desenvolver a gratidão. Não estamos sozinhos nesse mundo e não somos independentes. A todo momento precisamos de alguém, seja deste plano ou de outro. Reconheça a grandiosidade de tudo o que existe diante de nós, e agradecer.

Por que nunca estamos sós e como isso influencia nossas vidas

Em momento algum estamos desacompanhados. O mundo invisível é repleto de vida, habitado pelas mais diversas presenças, e está em constante e recíproca comunicação conosco. A qualidade e o tipo de companhia oriundo da espiritualidade vai depender, primordialmente, de nossa vibração. E isto pode ser favorável ou desfavorável a nós. Vamos entender melhor.

Há, naturalmente, uma capacidade de influenciar e ser influenciado pelo plano astral. Nós, em essência, somos espíritos e no decorrer dos ciclos vamos passando do estágio de ignorância à sabedoria. A espiritualidade agrupa-se por afinidade e os laços vão se criando ao longo das diferentes encarnações. Mesmo na matéria esta lei não pára de atuar.

Por este motivo, é muito importante cultivar boas companhias ao redor de si, tanto entre os encarnados quanto entre os desencarnados. Isso impacta diretamente nossa qualidade de vida.

As presenças negativas podem estimular: brigas, desentendimentos, desânimo, cansaço, melancolia, pensamentos e sentimentos de raiva, rancor, ódio, ciúme, obsessão, entre outros. As presenças positivas favorecem: harmonia, paz interna, compreensão, inspiração, criatividade, fluxos de ideias, sentimentos e pensamentos que nos elevam, além de respostas para os nossos problemas e tribulações. Veja como é importante este autocuidado, uma vez que os diferentes seres que habitam o plano espiritual, a depender de evolução deles, podem induzir tanto atitudes destrutivas quanto atitudes construtivas.

E como melhorar esse quadro? Elevando nossa vibração. Há muito meios para isso, porquanto o Pai Maior permitiu a existência de muitos caminhos para conhecê-lo. Algumas práticas e posturas: oração constante, especialmente ao acordar e e antes de dormir, a meditação, a busca da reforma pessoal, o trabalho caritativo, a leitura e o estudo, o ingresso a uma comunidade espiritual, evangelho no lar, música que elevam a vibração, o pensamento positivo, ambiente limpo e organizado, o perdão, entre tantas ferramentas que nos estão disponíveis.

Pode acontecer que o desânimo tenha predominado e você sinta que está preso num mar de negatividade, no fundo do poço. Que sua vibração esteja muito baixa, independente do motivo. Saiba que, mesmo assim, há uma presença elevada zelando por nós. Nossos guias e mentores ou, como alguns conhecem, anjo da guarda. Eles estão sempre próximo nos auxiliando a encontrar o bem estar e evoluir. Isto é, ainda que rodeado por presenças, há sempre, no plano espiritual, alguém que cuide de nós. E você sempre que precisar chamar por estas presenças, a oração tem esse poder.

Basta chamar. Muito se beneficiamos com o contato regular com o Alto. O principal meio para isso é o pensamento, através da intuição. Desenvolva um canal direto para a espiritualidade e veja como as coisas vão melhorar. Lembre-se de tudo isso nos momentos de dor e sofrimento, acione sua fé, clame à espiritualidade, e a positividade crescerá em sua vida.

Fazendo de 2018 um ano marcante na sua vida

Você já fez uma retrospectiva da sua vida e sentiu que alguns anos parecem ter passado batidos? Como se pouca tivesse mudado ou acontecido? Claro que tudo é experiência e aprendizado, nenhum dia de nossa vida realmente se perde, mas 2018 acaba de começar e temos diante de nós uma excelente oportunidade para fazer tudo diferente.

Vamos fazer desse período que se inicia uma experiência inesquecível, um divisor de águas. Que daqui a dez anos, quando olharmos para trás e lembrarmos de 2018, pensaremos foi aqui que nossa vida alavancou. Para isso, podemos nos utilizar de algumas atitudes e autoconhecimento que nos ajudarão a evoluir.

Primeiramente, precisamos definir, o que queremos de 2018? O que está em nossas mãos construir que fará de nossa vida verdadeiramente melhor, em todos os sentidos. Faça uma análise de você atualmente e escolha algumas áreas para trabalhar em cima. É importante escolher poucas, o foco será importante. O objetivo será que ao final de 2018 você perceba que as coisas estão em um patamar superior.

Pergunte-se: quem é a pessoa que quero ser? E quais os passos necessários para chegar lá? Porém, não se engane, não existe atalho, o caminho é longo e árduo. Dá muito trabalho mesmo. Trabalho que pode ser desempenhado de três formas distintas: limpeza, consolidação e iniciação.

Ao limpar, você fecha ciclos, resolve pendências do passado, liberta-se de pessoas, situações e hábitos que estão te prejudicando. É um movimento de purificação, removendo as negatividades que pesam sobre você. Pense consigo: o que eu quero me livrar em 2018? Como posso deixar minha vida mais leve? O que posso simplesmente desapegar?

É necessário refletir aquilo que vale a pena insistir, muitas tentar uma nova abordagem para o assunto, e o que simplesmente soltamos, deixamos ir. Aquilo que não desistimos, o esforço vai no sentido de consolidar, fortalecer, criar firmeza. Criar bases sólidas para que esteja menos vulnerável às tribulações da vida. Avançar significantemente seus diferentes níveis. Reflita: o que desejo me aprofundar neste ano?

Por fim, podemos investir nossa energia em iniciar novas atividades, buscar outras experiências e campos de estudar, testar caminhos diferentes. Uma habilidade ou leitura nova quem sabe? Aquilo que sempre nos prometemos começar, porém adiamos. Se o que estamos habituados a realizar não está funcionando, talvez seja a hora de mudar, como o rio que muitas vezes precisa contornar as pedreiras para continuar seu caminho. Questione-se: o que quero trazer de novo para minha vida em 2018?

É simples essas reflexões. O que nos bloqueia são nossas próprias emoções, além das limitações que a realidade nos traz. Muito de 2018 está em nossas mãos construir. De pouquinho em pouquinho, passo a passo, vamos criar a vida que queremos para nós. Lembre-se de que não estamos sozinhos, o Pai Maior, a espiritualidade, junto a todos os seres de luz, zelam e orientam-nos para o crescimento pessoal, moral e espiritual. Pedi e recebereis.