Por onde onde começar na Espiritualidade?

O mundo da espiritualidade, dos diversos caminhos/filosofias/religiões, é imenso. E, na atualidade, somos bombardeados pelas mais diferentes informações. É normal se, no meio de tudo isso, nos sentirmos confusos sobre por onde começar. Neste pequeno texto, vou falar sobre algumas atitudes que são válidas para praticamente qualquer rumo que você decide tomar.

De uma forma ou de outra, é importante entender que existem muitos pontos de partidas. Cada um com sua particularidade, cada um adequado a particularidade de cada pessoa e de cada povo, cada um buscando aquilo que toca o seu coração. O ponto de partida não é o mais importante; no final, chegamos todos no mesmo lugar. Ainda assim, há alguns empreendimentos que você pode realizar, independente de que caminho siga, que permitirão você avançar na senda da espiritualidade.

Mas não tenha pressa. É uma coisa de cada vez. Não se sobrecarregue de práticas; mais vale você fazer um pouco por dia e persistir nisso. Somos o que somos e não é de um dia para outro que isso vai mudar. Os frutos serão colhidos, porém é necessária que a planta seja semeada primeiro, firme suas raízes e cresça. E um pouco de como podemos nutrir essa planta é o que tentarei falar.

1) Estudo. O conhecimento abre os portais da mente. Ele expande sua consciência em níveis que você nem imaginava que era possível. Coloca em questionamento tudo o que achava que era certo e definitivo e faz você ter que aprender novamente o que é a vida. E não há caminho de volta; uma vez que se permite ver o mundo de posição inteiramente nova, você se transforma. Você já não consegue ser o mesmo, agir da mesma forma como sempre agiu. E nasce em seu interior um desejo, um impulso, um sentimento, para buscar mais. Pois o Universo é imenso e ele nos chama para conhecê-lo.

Mas para isso, é preciso deixar que o conhecimento nos transforme. Que ele se internalize em nosso ser e nos molde. Passarmos, assim, a ser guiados pelo nosso saber e não pelos nossos hábitos herdados.

Existe muita coisa para aprender aí, sobre muitos e muitos temas. Comece pelo básico e vai se aprofundando, usando com muita generosidade o seu discernimento e a sua razão. Não tenha receio de perguntar, de pesquisar, de ouvir. Há livros em abundância disponíveis na internet, grupos de estudo, cursos, canais do youtube, grupos do facebook, do whatsapp, etc.

E coloque em prática o que aprender, aquilo que seu raciocínio lógico concluir que é bom, seguro e saudável. E você crescerá.

2) Autoexame. Você está sendo uma boa pessoa? É feliz? Guarda muito rancor em seu coração? Auxilia as outras pessoas? Ou apenas se importa com você mesmo?

O caminho para o Reino dos Céus está dentro de você. Evoluir espiritualmente acontece na mesma proporção que você conhece a si mesmo. Você se beneficiará largamente à medida que tomar conhecimento de suas qualidades e seus defeitos, dos seus limites e de suas capacidades, do que está indo bem na sua vida e do que precisa ser feito.

Busque mergulhar em si. Mas seja generoso ao fazer esta autoanálise. Por mais que venhamos descobrir aspectos de nós que nos constrange, temos que lembrar que há coisas boas também. O objetivo do autoconhecimento não é destruir o seu autoamor, mas tomar consciência do que é você.

Há muitos processos inconscientes que modelam o seu comportamento, os seus pensamentos e os seus sentimentos. Fazem você tomar determinadas atitudes das quais você se arrepende depois. E quando voltamos a nossa mente para dentro, tudo isso começa a vir à luz. E surge a oportunidade de transformar o que está ali.

3) Autoreforma. Não faça ao próximo o que você não gostaria que fizesse contigo. Você sabe do que estou falando. Busque a cada dia ser uma pessoa melhor. Simples, humilde, amorosa, generosa, paciente, entre outros adejtivos que você já conhece. Tome cuidado principalmente com a vaidade e o orgulho. Force-se a cada dia a fazer um pouco mais de bem e um pouco menos de mal. Começar a mudar as características que seu autoconhecimento mostra que precisam ser mudadas. Agir com ética.

No entanto, saiba também perdoar-se quando errar. Não vamos nos tornar santos de um dia para outro. Não se pode pular etapas na espiritualidade. Entenda que há ciclos: uma hora sentimos mais empolgados com a nossa vida espiritual, outra hora nem tanto. E quando nos sentimos desconectados com a espiritualidade, devemos fazer alguma coisa para nos conectar novamente, como uma simples oração.

4) Elevar o pensamento. Os pensamentos têm muito poder na nossa vida, e muitas vezes não acreditamos nisso. Isso porque o jargão do “pensamento positivo” é tão repetido que se banalizou. E muitos fazem propaganda dessa palavra de ordem com fins comerciais. Apesar disso, os pensamentos realmente possuem uma capacidade transformadora em nossa vida.

Como eu já falei em outro texto, tudo o que a gente pensa penetra em nosso inconsciente e retorna no futuro. Ao interiorizar, o pensamento pode tanto purificar o que está dentro de nós, quanto acumular mais sujeira emocional. Por isso é de extrema importância vigiar o que ocupa nossa mente, e controlá-la ao passo que nos tornamos capazes disso. É uma tarefa de fato difícil, mas com o tempo e exercício ganhamos força para intervir em nossa mente.

5) Plantar coisas positivas. Todas as nossas ações têm consequência. Esta é a lei e dela não podemos escapar. Muito do que vivemos hoje, tanto o que nos agrada quanto o que nos causa dor, é resultado das nossas atividades no passado. Então, seja estratégico. Plante hoje o que amanhã trará o seubem. Não seja imprudente. Não faça o que você, em plena consciência, sabe que trará mal a você no futuro. Como diz o ditado: “a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória”. E estamos sempre semeando. Com nossas ações, palavras, pensamentos, estamos criando coisas que vão se manifestar no futuro. E isto é poder. Poder real de transformar nossa realidade.

6) Rever a relaçao com as pessoas. É relacionando com os próximos que podemos colocar em prática aquilo que os mestres espirituais nos ensinam. É convivendo com as pessoas que podemos testar nossa paciência, nossa humildade, nosso perdão. Por isso, é fundamental examinarmos como estamos nos comportando perante as pessoas próximas, dentro da nossa família, no trabalho, etc. Algumas vezes é realmente duro lidar com isso. E muito foge ao nosso controle, pois cada um tem seu livre arbítrio. Mas podemos assumir determinados padrões de comportamento que facilitam ou dificultam essas relações. Ter consciência do que estamos falando, fazendo, sentindo ao conviver com os outros.

7) Silenciar. Você está passando por uma transformação. Aprendendo coisas novas. O que você considerava certo está em questionamento. Este é um momento para falar menos e ouvir mais. Observar bastante. Não expressar o que mais tarde pode se revelar falso. Voltar-se para si mesmo. É que nem a larva que vira casulo para mais tarde se tornar borboleta.

Pode acontecer de você não se sentir mais a vontade nos grupos e lugares que começava frequentar. Ou que as pessoas comecem a achar que você está agindo estranho. Ou, ainda, você ter a sensação de estar deslocado. É o chamado para ir além do habitual, do mundo concreto ao qual você está acostumado a lidar.

8) Cultivar o hábito da oração. A prece diária pode transformar nossa vida. Por trás desse simples ato, há uma série de benefícios que vão sendo gerados a nossa volta. Para crescer na espiritualidade, o simples é bastante. Não é necessário nada exuberante para se conectar ao alto. Basta escolher um rumo e persistir nele, independente de nossas variações emocionais. E persistindo na oração, você vai estar avançando em direção ao criador.

9) Por fim, saiba que seu caminho é particular. Cada um é cada um, e ninguém é melhor que ninguém. Aqui na Terra, todos nós possuímos nossa dose de defeitos e qualidades. Portanto, não há razão nem para julgar nem se comparar aos outros. É importante que você aceite quem você é. Porém, que você busque ser a versão mais madura de você mesmo.

Saiba que seu caminho é particular, mas saiba também que é muito benéfico você se associar a algum agrupamento, principalmente se você lida com a mediunidade ou outro dom extrafísico. Juntos, somos mais fortes. E sendo novo na espiritualidade, é importante a orientação e o acompanhamento dos mais experientes. É importante ter uma base, pois, embora todos os caminhos que levam a Deus são bons, algum caminho temos que prosseguir.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Por onde onde começar na Espiritualidade?

  1. Como lidar com o próprio ceticismo – ASTROCURA

  2. A importância de orar ao acordar e ao dormir – ASTROCURA

  3. Os relacionamentos pessoais e a espiritualidade #2 – ASTROCURA

  4. O corpo físico é importante para a nossa evolução espiritual? – ASTROCURA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s